sexta-feira, maio 26, 2006

VIDA LONGA E PRÓSPERA - 40 ANOS DE JORNADA NAS ESTRELAS: À Procura de Spock

No clímax de Jornada nas Estrelas II, Spock, o mais popular dentre todos os integrantes da extensa galeria de personagens de Star Trek, sacrifica a própria vida a fim de salvar as de seus amigos, tripulantes da nave Enterprise. Tristeza para os trekkers, alívio para Leonard Nimoy, intérprete do alienígena orelhudo. Desde o final da série original, ele tentava, em vão, deixar de ser associado ao vulcano, a ponto de escrever uma autobiografia sugestivamente intitulada Eu Não Sou Spock. Longe de rejeitar o papel que lhe dera notoriedade, Nimoy não gostava mesmo era da idéia de ser estigmatizado como ator de um personagem só.

Quando parecia que finalmente ia pendurar as orelhas postiças, Leonard Nimoy começou a sentir um profundo arrependimento por ter apoiado a morte de Spock. Sorte dele que Jornada nas Estrelas II deixou um gancho e tanto para a ressurreição de seu personagem. Desta forma, quando foi convidado para participar de Jornada nas Estrelas III, não só topou voltar a encarnar o oficial de ciências da Enterprise, como foi além: pediu para dirigir o filme. A princípio receosos de entregar o comando de uma produção de sua franquia milionária a um estreante na direção, os executivos da Paramount aceitaram a oferta de Nimoy. Que chamariz poderia ser mais perfeito para um novo Jornada nas Estrelas do que o retorno de seu personagem-símbolo, tendo, de quebra, seu intérprete capitaneando a empreitada?

Jornada nas Estrelas III - À Procura de Spock (Star Trek III - The Search for Spock), cuja estréia nos cinemas ocorreu em 1984, dá continuidade aos eventos mostrados em Jornada nas Estrelas II. O capitão Kirk (William Shatner) descobre que a consciência de Spock foi transferida por este, antes de se sacrificar, para o cérebro do dr. McCoy (DeForest Kelley). Paralelamente, no planeta Gênesis, onde a vida pode surgir do aparente nada, Spock reaparece rejuvenescido mas em rápido processo de envelhecimento. Mesmo desobedecendo ordens, a tripulação da Enterprise se une então com o propósito de resgatar o corpo revivido do vulcano e uni-lo à sua mente. No processo, ainda precisam enfrentar os alienígenas klingons, mais violentos do que nunca.

Este filme sofreu por estar na ingrata posição de ponte entre Jornada II e IV, o que compromete um pouco a compreensão de sua história isoladamente. Também desagradou aos trekkers mais xiitas da série pelo sacrilégio de destruir a Enterprise original. Por outro lado, estes mesmos fãs não tiveram motivos para se queixar da presença de Sarek (Mark Lenard), o pai de Spock, e das pontas de Janice Rand (Grace Lee Whitney) e dos bichinhos conhecidos como pingos, todos pinçados do seriado televisivo.

Apesar de inexperiente, Leonard Nimoy fez um bom trabalho por trás das câmeras. Sem se arriscar com ousadias e deixando seus colegas bastante à vontade, Nimoy obteve alguns dos melhores desempenhos do elenco da Jornada clássica. A bem da verdade, auxiliado pelo roteiro que finalmente deu espaço para os demais personagens fora da tríade Kirk-Spock-McCoy. O que não poderia mesmo ser diferente, já que o tema central do filme era justamente a amizade que unia aquelas pessoas. Tão intensa, que os companheiros não titubearam ao arriscarem até o que lhes era mais caro pelo bem de um amigo, invertendo assim a lógica do sacrifício de Spock no filme anterior.

4 Comments:

  • Para mim este filme funcionou muito bem. O fato de ser uma ponte entre o 2 e o 4 não chega a prejudicar. A história é emocioante, grandes sacrifícios são feitos. Foi muito corajosa a destruição da Enterprise original, o que só contribuíu para tornar a película mais épica! E serviu mostrar que os personagens é que são a grande riqueza da série!

    By Blogger Evandro C. Guimarães, at 9:15 AM  

  • Caro xará!

    Para usar um termo pernambucaníssimo: é de lascar o cano quando um ator torna-se verberado por um único papel que lhe deu intensa notoriedade a ponto de confundir-se ficção e vida real...

    Leonard Nimoy,o insubstituível!

    *****

    De outro assunto,só para confirmar minha fidelidade ao primordial:

    Eu nunca apreciei a voz dubladora de Barney,dos Flitstones,afora a original,a dos princípios. Da mesma forma que o outro timbre vocal aos personagens de Jerry Lewis. Era como se tivesse faltando um pedaço dele,apesar do seu talento ficar-se intacto.

    Abraço trekkersado!

    By Anonymous Paulinho Patriota, at 6:59 PM  

  • Caro Paulo,
    Vou te confessar que o III da grife Star Trek não é dos meus favoritos. Mas concordo contigo que o Nimoy mandou bam na direção. Achei o roteiro com algumas pontas soltas. Mas...É um Star trek! Um abração!

    By Blogger Marco Santos, at 12:21 AM  

  • Oi nao lhe conheço mais achei sua história muito bonita e vim fazer um trabalho sobresua historia e pelo jeito vai sair muito legal vc é d+ maesro!!!!!!!!!!

    By Anonymous Anônimo, at 10:02 PM  

Postar um comentário

<< Home

Em cartaz

Astros & Estrelas

Cinemateca

Box-office

Premiações

  • Vencedor do OmniCam 2005, na categoria Melhor Blog de Cinema
  • Indicado ao OmniCam 2005, na categoria Melhor Blog
  • Indicado ao OmniCam 2005, na categoria Melhor Editor de Blog - Cinema

CineLinks

Outros links

Powered by Blogger