sexta-feira, março 17, 2006

O REI DA COMÉDIA

O sujeito chega ao seu lar. Como o interior está escuro, ele procura o interruptor. Ao tatear a parede, sem querer começa a derrubar uma série de objetos que estavam por cima de um móvel. De repente, as luzes se acendem e um coro de diversas vozes grita: “SURPRESA!” O cara põe a mão no peito e, com gestos exagerados, parece estar passando mal. Refeito do susto, precisa apagar as oitenta velinhas de um bolo. Assopra daqui, assopra de lá, e o surpreso aniversariante só faz perder o fôlego. Para pôr fim às pequenas chamas que teimam em permanecer acesas, ele pega um enorme pote de ponche e despeja o seu conteúdo sobre o bolo. Resultado: sujeira para todo lado! Fico imaginando que tenha sido desta forma a comemoração dos oitenta anos de Jerry Lewis, como uma seqüência de suas comédias que animaram diferentes gerações.

Jerry Lewis nasceu em 16 de março de 1926, mas o tipo atrapalhado que o consagrou só veio ao mundo cinco anos depois, quando, na sua precoce estréia nos palcos, sem querer fez uma lâmpada estourar, levando a platéia às gargalhadas. Já na adolescência, passou a fazer apresentações cômicas em hotéis, restaurantes e casas noturnas, sem grande repercussão. A virada na sua carreira aconteceu em 1946, ano em que iniciou a famosa parceria com o cantor Dean Martin. O sucesso da dupla lhes abriu as portas de Hollywood e os filmes que vieram caíram nas graças do público.

Em 1956, por diferenças profissionais e pessoais, Lewis se separou de Martin e deu início à carreira solo na tela grande. Daí até 1965, Lewis viveu o melhor período de sua trajetória artística. Sem Martin, pôde explorar melhor sua performance cartunesca e alçou vôos maiores, produzindo e dirigindo seus próprios filmes. Desta fase, destacam-se Bancando a Ama-Seca (Rock-a-bye Baby), O Terror das Mulheres (The Ladies' Man), Errado pra Cachorro (Who's Minding the Store?), O Bagunceiro Arrumadinho (The Disordely Orderly), A Família Fuleira (The Family Jewels) e O Professor Aloprado (The Nutty Professor), considerada a obra-prima de Lewis (favor não confundir com a grosseira refilmagem anônima protagonizada por Eddie Murphy).

A partir da metade final da década de sessenta, a carreira de Lewis começou a declinar. A ingenuidade que encarnava em seus personagens soava anacrônica naqueles tempos tão conturbados. Lewis tentou se reinventar. Virou conquistador de mulheres nas telas, mais ou menos como fora Martin. Não deu certo! Tentou a TV. Também não deu certo! Radicalizou, e deu vida a um palhaço que, durante a Segunda Guerra Mundial, encaminhava crianças judias para as câmaras de gás, no sinistro The Day the Clown Cried. O filme jamais foi exibido! Como se não bastasse, Lewis enfrentou diversos problemas de saúde e até viciou-se em medicamentos.

Só fui conhecer o trabalho de Lewis nos anos oitenta, quando ele tentava refazer (sem sucesso) sua carreira cinematográfica, em filmes como As Loucuras de Jerry Lewis (Cracking Up, único dele que assisti no cinema). Logo, me tornei fã, a ponto de não perder nenhuma das exibições de produções estreladas por este artista na Sessão da Tarde, ainda que fossem reprises. Aliás, estas eram até mais gostosas de assistir, pois ficava aguardando rever piadas ou seqüências hilariantes, como a da senhora cuja vesícula “pingava a noite inteira” para tormento do impressionável enfermeiro interpretado por Lewis em O Bagunceiro Arrumadinho.

Muito mais do que um mero careteiro, Lewis é um verdadeiro gênio da Sétima Arte. Suas atuações e seus filmes são referências para artistas e produções recentes. O uso do vídeo para monitorar as cenas filmadas, criação sua, facilitou o trabalho de seus colegas diretores. Enquanto professor da Universidade da Califórnia, teve como alunos dois verdadeiros paradigmas do cinema contemporâneo: George Lucas e Steven Spielberg. Portanto, deixo registrados meus parabéns para Jerry Lewis, pelos 80 anos de vida e pela brilhante carreira, bem como minha gratidão por proporcionar ainda mais alegria à minha infância.

12 Comments:

  • Não, amigo, não estou casado, nem com dez filhos. Não faz tanto tempo que vc não entra em meu blog, até mesmo pq eu ando meio ausente dele. Estou, sim, fazendo direito e apesar dos pesares estou feliz, a medida do possível.
    Quanto aos filmes, não os vi ainda, to meio sem tempo, só tenho a quarta-feira a noite pra ir ao cine. A que passou-se eu fui lá pra ver "O segre...", mas era mt tarde e não rolou, então eu vi "Os meus, os seus...", a próxima quarta verei "o segredo..." e depois Crash...

    Obg por ter respondido prontamente ao meu coment.
    Até mais.

    By Anonymous Charles, at 5:26 PM  

  • Caro pesonal teacher,
    Belíssima lembrança. Acho que Jerry Lewis fez parte da vida de toda a nossa geração. Eu lembro que o primeiro filme dele que assisti foi "Bagunceiro Arrumadinho". Vi no cinema em mil novecentos e não vem ao caso. Saí do cinema rindo tanto e doido para contar o filme para os meus amigos. Depois vi outros no cinema e na televisão. O cara é gênio. Na França, é praticamente um deus. Todos o chamam de "roi du crazy". Vi o "True Television Story" sobre ele no Canal E!. Fiquei impressionado com o tamanho, ou melhor, a largura dele atualmente. Vi também uma cinebiografia onde mostra a sua parceria com Dean Martin. O final da dupla foi extremamente melancólico.
    Tomara que ele ganhe o Nobel. No True Television mostrou o seu trabalho beneficente. É fantástico! Um abraço.

    By Blogger Marco Santos, at 10:53 PM  

  • Oiiiiii, olha o milagre! Euzinha aparecendo por aqui... e que bom q me deparei com seu post sobre alguém que eu também curtia demais!!! Foram muitas Sessões da Tarde e muitas risadas gostosas no sofá... Lembram de "Gansinho Ganso e Reinaldo, o Ratinho"? Era isso? Ou estou trocando as bolas? Sei que era um dos filmes em que se não me falha a memória trabalhava também a Shirley MacLaine... hilário... Puxa, não me dava conta que ele já está com 80 anos! A última imagem q vi dele já estava bem mais velho mesmo, imagino agora! De qualquer forma, Paulo, pra variar, seu texto está divino, parabéns, pra vc e pro Jerry, claro. Torço pra q ele receba o Nobel, também! Beijos!

    By Blogger Lena Gomes, at 11:13 PM  

  • Justíssima homenagem, sócio. Como esquecer as deliciosas tardes que passei assistindo aos filmes deste gênio da comédia!

    By Blogger Evandro C. Guimarães, at 9:13 AM  

  • Meu conhecimento de Lewis é fraco, tanto que só vi o filme que dá nome ao título do artigo.

    By Anonymous Gabriel Carneiro, at 6:00 PM  

  • Oi... já respondi seus comentários! Beijos.

    By Blogger Lena Gomes, at 9:18 PM  

  • Muito bom isso aqui. estamos na busca por blogs e sites legais de cinema. podemos linkar?
    abs

    By Blogger Iris, at 10:17 AM  

  • Bom dia gente.
    As loucUras de Jerry Lewis, para mim, foi o melhor dele. PROCURO DESESPERADAMENTE ESSE FILME.
    qUEM SOUBER DE ALGO, PODERIA ESCREVER?
    marialucia-moura@bol.com.br
    Obrigada a todos
    Bom dia

    By Anonymous Anônimo, at 9:34 AM  

  • Jerry Lewis é,e sempre será o Rei da Comédia,ele é um gênio total!!!!!!
    Se não for o melhor,é um dos melhores comediantes que o mundo já teve!!!!!

    By Blogger lessa, at 11:20 AM  

  • Eu tenho todos os filmes dublados do Jerry Lewis. Se alguém estiver afim entre em contato por email : 4fantasticos@gmail.com
    Abraços.

    David Carvalho

    By Blogger 4fantasticos, at 11:49 AM  

  • adorei ver um filme hoje com esse personagem maravilhoso e que me fez rir e matar a minha saudade, nao sei o nome do filme so sei que ele e o Dean Martin faziam par e estavam enrolando 3 moças , uma que estav sempre dormindo pq a empregada colocava remedio na agua dela e cada uma iria dormir num quarto , no fim eles fugiram e entraram num taxi onde uma moça dirigia, deu pra perceber que eles eram muito galinhas no bom sentido da palavra, ri muito adorei ter relembrado no TCM

    By Anonymous Anônimo, at 8:27 PM  

  • 21/09/2008 as 20:30hs

    adorei ver um filme hoje com esse personagem maravilhoso e que me fez rir e matar a minha saudade, nao sei o nome do filme so sei que ele e o Dean Martin faziam par e estavam enrolando 3 moças , uma que estav sempre dormindo pq a empregada colocava remedio na agua dela e cada uma iria dormir num quarto , no fim eles fugiram e entraram num taxi onde uma moça dirigia, deu pra perceber que eles eram muito galinhas no bom sentido da palavra, ri muito adorei ter relembrado no TCM

    By Anonymous Anônimo, at 8:31 PM  

Postar um comentário

<< Home

Em cartaz

Astros & Estrelas

Cinemateca

Box-office

Premiações

  • Vencedor do OmniCam 2005, na categoria Melhor Blog de Cinema
  • Indicado ao OmniCam 2005, na categoria Melhor Blog
  • Indicado ao OmniCam 2005, na categoria Melhor Editor de Blog - Cinema

CineLinks

Outros links

Powered by Blogger